segunda-feira, 2 de março de 2015

Envolvimento na “Operação Sinal Fechado” coloca José Agripino em situação contraditória

Agripino em situação contraditória - AssessoriaHá uma semana o senador José Agripino, presidente nacional do DEM, deixou a condição de pedra para a de vidraça. O mundo dele caiu quando se viu denunciado pelo empresário George Olímpio, delator da "Operação Sinal Fechado".

O parlamentar é acusado de receber um milhão de reais para usar na campanha eleitoral em troca de convencer a então governadora RosalbaCiarlini, na época aliada, a manter a inspeção veicular acertada nas gestões de Wilma de Faria e Iberê Ferreira de Souza, ambos do PSB.

A informação teve repercussão em rede nacional através de reportagem do programa “Fantástico”. O senador confirmou o encontro com George Olímpio, mas negou ter recebido dinheiro do empresário para usar na campanha.

Mas, uma gravação de conversa entre o delator e o já falecido ex-deputado federal João Faustino mostra que havia um acerto.
Um dia antes dessa gravação vazar, Agripino tinha um pronunciamento marcado no Senado. Ele iria abordar o assunto, mas foi aconselhado pelos líderes da oposição a não se manifestar até que as gravações fossem divulgadas.

A semana terminou e Agripino preferiu adotar o silêncio. Não se manifestou a respeito das novas gravações.

As denúncias atingem um dos principais críticos dos governos do PT. Por muito tempo, Agripino foi a principal voz do DEM no Congresso Nacional.
Agora ele está em situação contraditória e com dificuldades para denunciar os escândalos de corrupção do PT. O parlamentar está enfraquecido.
Isso acontece justamente no momento em que as denúncias da “Operação Lava Jato” se aprofundam ainda mais.

O Mossoroense

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

FUNFFEC inicia matrículas para 2015.1





FUNFFEC: EXPRESSÃO IDENTITÁRIA LUISGOMENSE

Eleitores faltosos podem ter o título cancelado

Resultado de imagem para eleitores faltosos chargeUm levantamento divulgado na noite dessa quarta-feira (25) pelo Tribunal Superior Eleitoral apontou que quase doze mil eleitores podem ter o título cancelado no Rio Grande do Norte.

O estado aparece com 11.923 documentos passíveis de cancelamento. O município de Parnamirim lidera no RN com 1.315 títulos que podem ser cancelados, seguido por Mossoró com 1.048 casos.

Luís Gomes figura na relação com 142 registros, Major Sales com 43, Paraná 44 e José da Penha 66.

Os eleitores irregulares devem procurar o Cartório Eleitoral da sua comarca para sanar a pendência e evitar a cessão do direito.

Para consultar outros municípios é só clicar no link abaixo e conferir a lista completa.

Confira relação de títulos por estado.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

PGR pede ao Supremo abertura de inquérito para investigar Agripino

O senador José Agripino Maia (RN), presidente do DEM (Foto: Pedro França/Ag.Senado)O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) abertura de inquérito para investigar se o senador José Agripino Maia (RN), presidente do DEM, recebeu dinheiro em 2010 em troca de não colocar obstáculos à aprovação de um projeto de lei que previa implantação da inspeção veicular obrigatória no Rio Grande do Norte. O caso foi noticiado pelo Fantástico neste domingo, 22.

Como Agripino tem foro privilegiado (em razão da condição de senador), a abertura de investigações precisa ser autorizada pelo STF. O pedido da PGR é para que o parlamentar seja investigado por suposto crime de corrupção passiva. A decisão de abrir ou não o inquérito será tomada pela ministra Cármen Lúcia.

Em nota divulgada nesta segunda-feira, o senador José Agripino afirmou desconhecer "o teor da suposta acusação". Na nota, Agripino também destaca que o ex-procurador-geral da República Roberto Gurgel arquivou, em 2012, pedido de investigação contra ele encaminhado pelo MPF do Rio Grande do Norte. "Estaria eu sendo objeto de denúncia de igual teor à que a Procuradoria Geral da República já teria apurado e arquivado? Por que razão estes fatos, que não são novos, estariam sendo retomados neste momento?", questionou.

Agripino disse por telefone que não foi informado sobre o pedido de abertura de inquérito pela PGR e que, portanto, não poderia se manifestar a respeito. "Eu desconheço o assunto. O que posso dizer é que não fui informado de nada", afirmou.

G1/RN

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

TSE retira processo que pode cassar prefeito de Luís Gomes da pauta de amanhã

A presidência do Tribunal Superior Eleitoral retirou da pauta da sessão que acontecerá nesta terça-feira (24), o Recurso Especial Eleitoral Nº 138, que julgará a continuidade, ou não, de Francisco Tadeu Nunes a frente da prefeitura municipal de Luís Gomes.

Resultado de imagem para tse

A mudança se deu em virtude da ausência justificada de dois membros titulares da Suprema Corte Eleitoral brasileira no encontro de amanhã.

O processo continua junto a Assessoria do Plenário e deve ser analisado pelos membros do Tribunal nas próximas reuniões ainda sem data determinada.